Translate? This website is also available in your language! Do you want to switch? Yes Not now Don't ask me again
Arthrex, Inc.
  • Calendário de eventos
  • 0 0

Perguntas frequentes


1.  Qual é a definição de um implante?

 

2. Como posso verificar as atualizações mais recentes de CPT? 

 

3. Quando um paciente tem doença articular degenerativa nos dois joelhos, qual é o código correto para atribuição? 

 

4. CID-9 727.61 é para uma ruptura completa do manguito rotador. Se ocorreu uma ruptura parcial, o código é 840.4. O que é apropriado para Hill-Sachs e Bankart? 

 

5. Algumas operadoras privadas agora usam em conjunto 29807 e 29806. Usamos 59 modificadores e diagnóstico diferencial para acromioplastia. A edição de CCI afirma que o modificador é permitido com 29826. Como explicamos a descompressão subacromial? 

 

6. Quais códigos CPT podem ser usados para """"Reparo da lesão da sindesmose tibiofibular distal""""? 

 

7. Se o procedimento de OATS for realizado no côndilo femoral medial, côndilo femoral lateral E tróclea o código de procedimento é cobrado 3 vezes para cada local/compartimento ou apenas uma vez para qualquer autoenxerto e 3 locais? 

 

8. Os códigos de ruptura do manguito rotador CID-9 são confusos. Se eu entendi corretamente, 840.X servem para rupturas traumáticas agudas, mas e quanto a 727.61 e 726.10?  Um RCR crônico de, por exemplo, uma ruptura do supraespinhal, pode-se usar 840.6? 727.61 é para uma ruptura """"completa""""; poderia ser usado somente para uma ruptura crônica parcial do supraespinhal? 

 

9. Onde podemos encontrar uma explicação completa dos códigos mais recentes para joelhos? 


 

1. Qual é a definição oficial de um implante?


Nossa página principal sobre reembolso contém um link para uma lista dos produtos da Arthrex que podem ser classificados nessa categoria. A Medicare implementou seu sistema atual para pagar aos hospitais pelos serviços fornecidos em alas ambulatoriais. Conhecido como OPPS (Sistema de Pagamento Prospectivo Ambulatorial), este sistema inclui certos códigos de cobrança chamados códigos """"C"""" ou códigos """"de repasse transicional"""". A Medicare criou mais de 90 categorias de equipamentos, cada categoria com seu código """"C"""" específico. Se uma operadora usar um equipamento que faz parte de uma categoria de repasse, ela inclui o código C adequado na cobrança à Medicare e recebe um pagamento adicional.

A maioria dos equipamentos de fixação faz parte de categoriais originais de repasse. A definição operacional para C-1713 é """"Âncora /parafuso para fixação oposta de osso-osso e tecido mole no osso (implantável)""""1 Equipamentos elegíveis para pagamentos de repasse são assim definidos, """"Eles são considerados razoáveis e necessários para o diagnóstico e tratamento de uma doença ou lesão ou melhorar o funcionamento de um membro mal formado. Eles são uma parte integrante subordinada do procedimento realizado e são usados somente para um paciente, de uso único, entram em contato com o tecido humano e são implantados cirurgicamente ou inseridos permanecendo ou não no paciente quando o paciente recebe alta. Eles não são equipamentos, instrumentos, aparatos, implementos ou itens cuja depreciação e despesas financeiras são recuperadas.""""

1) Manual de Processamento de Solicitações Medicare, transmissão 585 6.30.2005     2) CMS Pub. 100-04, transmissão 403 12.17.2005  

2. Como posso ver as atualizações mais recentes de CPT?


Até 01 de janeiro e 01 de julho em um ciclo da CPT®, e após a aprovação do Painel Editorial, os códigos recém-adicionados da Categoria III da CPT estarão disponíveis por distribuição eletrônica semestral neste website. O conjunto completo dos códigos da Categoria III será incluído na próxima edição publicada para aquele ciclo da CPT. 

http://www.ama-assn.org/ama/pub/category/3885.html

3. Quando um paciente tem doença articular degenerativa nos dois joelhos, qual é o código correto a ser atribuído?


Atribua o código 715.36 (osteoartrose, localizada, sem especificação de primária ou secundária, para doença articular degenerativa bilateral, joelho). Na Lista Tabular (Volume 1), sob a categoria 715 (osteoartrose e transtornos relacionados), pode ser encontrada uma nota de instrução:

""""Nota: A qualificação ""localizada"", nas subcategorias abaixo, abrange comprometimento bilateral da mesma região anatômica."""" 

Esta nota deve ser interpretada como acometimento bilateral incluído no quinto dígito daquela região. Além disso, quando a doença articular degenerativa afeta somente uma região, mas não é identificada como primária ou secundária, ela deve ser codificada como 715.3x (Osteoartrose, localizada, sem especificação de primária ou secundária). Caso envolva mais de uma região, mas não for especificada como generalizada, atribua o código 715.8x (Osteoartrose comprometendo ou com menção de atingir mais que uma região anatômica, mas sem especificação de generalizada).
   

4. Se o CID-9 727.61 for uma ruptura completa do manguito rotador. Se ocorreu uma ruptura parcial, o código é 840.4. Qual é apropriado para Hill-Sachs e Bankart?


718.01 e 905.6 juntos para Hill-Sachs e 719.81 para Bankart.     

5. Algumas operadoras privadas agora usam em conjunto 29807 e 29806. Usamos 59 modificadores e diagnóstico diferencial para acromioplastia. A edição de CCI afirma que o modificador é permitido com 29826. Como explicamos a descompressão subacromial?


O Comitê para Codificação, Cobertura e Reembolso da AAOS reconhece três regiões separadas e distintas do ombro, a articulação glenoumeral, a articulação acromioclavicular e o espaço subacromial bursal. A fim de suportar os códigos de escopo extenso ou completo, você deve estar em dois dos três. Edite o modificador -59 para 29826 para reconhecer uma região separada do ombro e que a acromioplastia com descompressão subacromial foi documentada no relatório cirúrgico. Eles são agrupados de acordo com CCI. Esse agrupamento pode ser desfeito se justificado. A AAOS global declara que você pode relatar somente se o reparo à lesão SLAP for Tipo 2 ou 4, assim, sua documentação deve suportar o tipo de lesão sob reparo. Se for necessário apelo, use o sumário da AAOS. 
 

6. Quais códigos da CPT podem ser usados para """"Reparo da lesão da sindesmose tibiofibular distal""""?


Para Weber B e C tipo Fx, considere 27814 (Tratamento aberto de fratura bimaleolar do tornozelo, com ou sem fixação interna ou externa) e 27829 (Tratamento aberto de ruptura da articulação tibiofibular distal (sindesmose), com ou sem fixação interna ou externa). Não há código para reparo de uma fratura bimaleolar viciosa/pseudoartrose. Alguns sugeriram 27725 (Reparo de fratura não unida ou fratura viciosa, tíbia; sem enxerto, (p.ex., técnica de compressão) - por sinostose, com fíbula, qualquer método?

   

7. Se o procedimento de OATS for realizado no côndilo femoral medial, côndilo femoral lateral E tróclea, você cobraria o procedimento 3 vezes para cada região/compartimento ou apenas uma vez para qualquer autoenxerto e 3 regiões?


Relate por compartimento, não por número de enxertos.   

8. Os códigos de ruptura do manguito rotador CID-9 são confusos. Se eu entendi corretamente, 840.X servem para rupturas traumáticas agudas, mas e quanto a 727.61 e 726.10? Um RCR crônico de, por exemplo, uma ruptura do supraespinhal, pode-se usar 840.6? 727.61 é para ruptura """"completa""""; ele pode ser usado somente para ruptura crônica parcial do supraespinhal?


Não. Use 727.61 para ruptura RC degenerativa já que NÃO se trata de uma ruptura completa.   

9. Estamos buscando uma explicação sobre os códigos mais recentes para Joelho.


Cinco códigos recentes de procedimento de Joelho. (Excerto, Boletim da AAOS)     por Margie Scalley Vaught, CPC, CPC-H, CCS-P, ASC-OR; M. Bradford Henley, MD; William Beach, MD; e Mel Friedman, MD 
 
Como mencionado no boletim de abril, cinco novos códigos de procedimento do joelho foram adicionados à Terminologia Processual Atual (CPT) em 2005. Esta coluna abordará os novos códigos de procedimento além da codificação para procedimentos de substituição de articulação minimamente invasivos. 
   

Transplante de Menisco


O novo código para transplante artroscópico do menisco é 29868. De acordo com o Global Service Data Book (GSD) da AAOS, este código inclui os seguintes procedimentos: artroscopia diagnóstica; lavagem e/ou drenagem; lise de aderências; e sinovectomia de pequeno porte para visualização.   

O GSD também refere que a remoção de corpos livres, condroplastia artroscópica (em uma região diferente) e abrasoplastia artroscópica podem ser relatados separadamente, já que são considerados excluídos. Em geral, o painel editorial da AAOS para o GSD considera a remoção de corpos livres como um serviço que pode ser relatado separadamente quando os corpos livres têm tamanho suficiente para remoção por incisão separada ou quando eles forem muito grandes (p.ex. >5mm) para sair por uma bainha artroscópica. Já que a maioria das operadoras exige que a necessidade médica seja estabelecida antes da operação, o diagnóstico específico de """"corpo(s) livre(s)"""" deve ser feito antes da pré-autorização.  

Contudo, o CPT Changes for 2005: An Insiders View afirma que o código 29868 inclui todas as ações a seguir: preparo da área defeituosa; remoção da parte lesada do menisco; criação de túneis na tíbia ou uma calha óssea como estruturas estabilizantes para o implante; inserção do enxerto do menisco via artrotomia; exploração da articulação; biópsia sinovial; lavagem, drenagem e remoção de """"corpos livres"""" sinovectomia; meniscectomia; reparo medial e lateral do menisco; e lise de aderências.   

Antes da impressão das Modificações da CPT para 2005 (CPT Changes for 2005), a intenção era que o código 29868 incluísse os códigos 29881 (meniscectomia), 29877 (condroplastia) e 29874 (remoção de corpos livres) quando realizado na mesma região como o transplante de menisco, mas não quando realizados em regiões distintas. Contudo, como resultado de um erro tipográfico, a edição impressa afirma que 29881, 29874 e 29877 não podem ser listados e reembolsados com o código 29868.   

O Comitê para Codificação, Cobertura e Reembolso da AAOS teve a solicitação aceita de uma modificação em 2006, assim corrigindo esse erro. Uma nota intercalada no manual de 2006 confirmará que a codificação de região separada é permitida.   

O Manual de Codificação da CPT 2005 também inclui diversas referências cruzadas que abordam problemas de agrupamento. Sob as diretrizes, procedimentos como escopo diagnóstico (29870), lavagem (29871), sinovectomia (29875), remoção de corpo(s) livre(s)(29874), meniscectomia (29880 e 29881), reparos do menisco (29882 e 29883) e lise de aderências (29884) NÃO devem ser relatados separadamente quando esses procedimentos forem realizados na mesma sessão e nas mesmas regiões. 
  

Mosaicoplastia artroscópica (joelho)


Dois novos códigos de artroscopia foram adicionados para enxertamento osteocondral - um para autoenxerto e outro para aloenxerto. O código 29866 abrange """"Artroscopia, joelho, cirúrgico; autoenxerto(s) osteocondral(ais) (p.ex., mosaicoplastia) (inclui coleta do autoenxerto)."""" O código 29867 abrange """"Artroscopia, joelho, cirúrgico; aloenxerto osteocondral (p.ex., mosaicoplastia).""""   

De acordo com o GSD da AAOS, o uso dos códigos 29866 ou 29867 incluiria a artroscopia diagnóstica, lavagem e/ou drenagem, lise de aderências e sinovectomia de pequeno porte para visualização. Contudo, a remoção de corpos livres, condroplastia artroscópica de um compartimento diferente e abrasoplastia artroscópica não são abrangidos por esses códigos.

A perspectiva da CPT sobre o agrupamento para enxertamento osteocondral é abrangida em CPT Changes for 2005: An Insiders View afirma:  

""""O código 29866 foi definido para relatar a coleta de autoenxerto osteocondral e implantação de cartilagem periférica femoral no joelho. Uma vez que este procedimento geralmente exige a colocação de múltiplos enxertos, o código 29866 é relatado uma vez por procedimento, independente do número de enxertos obtidos e inseridos. A coleta do autoenxerto NÃO é relatada separadamente junto ao 29866, já que a aquisição do enxerto é inerente ao escopo da implantação do autoenxerto osteocondral.  

""""O código 29867 foi definido para relatar o desempenho do reparo de lesões do côndilo femoral com colocação artroscópica de aloenxerto osteocondral. Uma nota instrucional após 29867 também indica que o código aberto 27415 NÃO é relatado adequadamente junto ao procedimento de escopo na mesma sessão.""""

O Manual de Codificação da CPT 2005 inclui diversas referências cruzadas que abordam problemas de agrupamento. Com base nesse manual, os procedimentos a seguir deveriam ser considerados agrupados quando realizados no mesmo compartimento com o código 29866: escopo diagnóstico (29870), lavagem (29871), sinovectomia (29875), remoção de corpo(s) livre(s)(29874), condroplastia (29877), condroplastia por abrasão (29879), perfuração da osteocondrite dissecante (29885-29887) e lise de aderência (29884).   

Originalmente, 29877 e 29874 deveriam ser incluídos quando realizados no mesmo compartimento, mas não se realizados em compartimentos diferentes. Um erro tipográfico afirmava que 29874 e 29877 não podem ser listados e reembolsados. O Comitê para Codificação, Cobertura e Reembolso da AAOS teve a solicitação aceita de uma modificação em 2006, para corrigir esse erro. O AMA anotará que a codificação de compartimentos separados pode ser feita no manual 2006.   

Muitas seguradoras têm políticas específicas cobrindo esses procedimentos. Peça à sua operadora as políticas sobre indicações, pré-certificação e/ou renúncia de responsabilidade, que devem ser assinadas pelo paciente. A renúncia alerta os pacientes quanto ao fato de que a seguradora pode não permitir o reembolso desses serviços. A seguir listamos as URLs de políticas de necessidades médicas para as principais operadoras:

Blue Cross Blue Shield de Massachusetts:  http://www.bcbsma.com/common/en_US/medical_policies/374.htm

HGSAdminitrators (CMS carrier/Pennsylvania):  http://www.hgsa.com/professionals/med-reports/mr0601.shtml  

Blue Cross Blue Shield do Tennessee: http://www.bcbst.com/MPManual/Autologous_Chondrocyte_Implantation.htm
 
IAC e aloenxertos osteocondrais abertos
 
Dois códigos abertos de tratamento da CPT foram adicionados para reconstrução de defeitos da cartilagem articular: 27412, """"Implante autólogo de condrócitos (IAC), joelho,"""" e 27415, """"Aloenxerto osteocondral, joelho, aberto."""" De acordo com o GSD, esses procedimentos incluem: coleta de material, aplicação e selamento da cobertura de enxerto; artrotomia, joelho; sinovectomia e ressecção do coxim gorduroso; artroscopia diagnóstica do joelho e condroplastia artroscópica, mesmo compartimento. Os códigos não incluem meniscectomia e/ou reparo e transplante de menisco, de acordo com o GSD. (Observe que estes não são códigos de enxertamento osteocondral [aberto ou artroscópico] para o tornozelo ou outras articulações. Um código de procedimento não listado deve ser usado nesses casos.)   

O CPT Changes for 2005: An Insiders View afirma: """"O código 27412 foi definido para relatar o desempenho de um procedimento aberto do joelho para implante de condrócitos autólogos anteriormente obtidos para tratamento de cartilagem articular lesionada ou doente. [O IAC é] geralmente realizado para lesões do côndilo femoral, a articulação patelofemoral e lesões mediais ou laterais da cartilagem articular de trócleas ou côndilos femorais distais. Uma vez que enxerto tecidual (20926), artrotomia do joelho (27331), exploração, remoção de corpos livres, manipulação da articulação do joelho (27570) e fixação estão incluídos no implante de condrócitos, o códigos 20926, 27331 e 27570 NÃO devem ser relatados durante a mesma sessão. A avaliação de células para implante antes do procedimento também é inerente e NÃO deve ser relatada separadamente.   

""""O código 27415 foi definido para relatar o implante aberto de um aloenxerto osteocondral no joelhorealizado para o tratamento de defeitos condrais ou osteocondrais moderados a severos.""""  

O Manual CPT 2005 também inclui diversas referências cruzadas que abordam problemas de agrupamento. Nele observamos que os códigos 27512 e 27514 não devem ser relatados junto aos códigos 20926, 27331 ou 27570.    O código para coleta de condrócitos para cultura tecidual (p.ex. IAC) é 29870, """"Artroscopia, joelho, diagnóstico, com ou sem biópsia sinovial (procedimento separado).

Physician ICD-9-CM 2006, AMA copyright 2005 Ingenix  Current Procedural Terminology, copyright AMA 2005  Coding with Modifiers, A guide to Correct CPT and HCPCS Level II Modifier Usage, 2nd Ed. 2006